Um Rally de volta ao passado.

por | jan 18, 2021

Parecia ser um domingo como outro qualquer quando os habitantes e turistas de Campos do Jordão, a leste do interior paulista, tiveram atenção despertada para um desfile de carros antigos, precedidos por escolta e uma banda de música.   
Era o encerramento do 8º Raid São Paulo – Campos do Jordão.

Raid que, na realidade, fora um rally iniciado no dia anterior, à altura do quilômetro 29,5 da rodovia dos trabalhadores, na região leste da grande São Paulo, com a participação de 46 veículos e numa promoção do Veteran Car Club do Brasil.

Com o apoio de duas empresas privadas e prestigiado – Paraná, Mustang Clube do Brasil, Chevrolet Clube do Brasil e Clubes do Fordinho e Ford V8, o rally teve a participação de veteranistas de São Paulo, do interior paulista, de Curitiba, do interior paranaense e do Rio de Janeiro.

Em face à diversidade de marcas, modelos, potência e os anos de fabricação dos veículos inscritos, cada concorrente pôde optar por uma das três categorias estabelecidas para o evento, com velocidades médias previamente determinadas para as regiões planas e de subidas do percurso.

Para a categoria A, as velocidades foram limitadas em 75/60 quilômetros horários referentes ao binômio plano/subida; para B, 60/45 Km/h e para C, 45/36. As médias pré-determinadas justificaram-se por se tratar de uma prova de regularidade e não de velocidade e de tal forma que, enquadrado na categoria adequada, um carro da década de 20 pudesse concorrer em igualdade de condições com um fabricado nos anos 60.

Além da parte prática (representada pela habilidade na condução do automóvel), o rally teve também uma parte teórica, constituída por um questionário do tipo teste, integrado por 46 quesitos de quatro alternativas cada. A finalidade era de avaliar os conhecimentos dos concorrentes relativamente à história do automóvel.

Pouco antes da partida, cada equipe, formada por um piloto e navegador, recebeu um roteiro específico à categoria escolhida, com as indicações sobre o trajeto, aferições de odômetros e tempos a serem cumpridos, em cada trecho do percurso.

Passava pouco das 9 horas quando começou o desfile de carros pela rodovia dos trabalhadores, continuando pela via Dutra e se reagrupando na ponte sobre o rio Quiririm, na estrada de acesso a Campos do Jordão, iniciada a partir da saída 127 da rodovia federal. A contar daquela ponte, foi dada a largada oficial rally, que só terminou em vila Capivari, um dos pólos turísticos daquela cidade serrana.

À noite, os quatro primeiros colocados de cada categoria receberam taças e troféus diversos, tendo ainda cada concorrente ganho uma lembrança por sua participação no evento. Na classificação geral, o vencedor absoluto foi Cristóvão Remédio, que dirigiu um Ford A de 1929. Na parte teórica, o destaque ficou para Luiz Francisco Batista.

Outras Postagens

LANDAU COCA-COLA !

LANDAU COCA-COLA !

Galaxies da promoção da Coca Cola foram customizados pelo Batistinha em 2008. Um deles, pertenceu ao Sr. Baptista. O concurso nacional premiou cinco felizardos com um Ford Galaxie / Landau contando...

ler mais
DO GALAXIE AO LANDAU.

DO GALAXIE AO LANDAU.

No melhor estilo dos carros americanos, os Ford Galaxie e suas versões foram os mais inovadores e luxuosos automóveis já fabricados no Brasil Por Luiz Francisco Baptista da Automotor e Jane Lopes da...

ler mais
A EMOÇÃO DE PILOTAR A 200 KM/H

A EMOÇÃO DE PILOTAR A 200 KM/H

Este carro é antigo: é um Maverick de quatro portas, adaptado para correr na Fórmula 5.000, a mais veloz do automobilismo brasileiro. Mas é um carro muito especial - foi campeão da categoria em 84....

ler mais
Open chat
Precisando de ajuda? Estamos aqui!